fbpx
18.4 C
São Paulo
segunda-feira, junho 17, 2024
InícioCarreira InternacionalRanking dos melhores países para trabalhar no exterior

Ranking dos melhores países para trabalhar no exterior

Siga-nos no Google Notícias

Se você ama trabalho remoto e sonha em ser um nômade digital, certamente vai querer descobrir quais são os melhores países para trabalhar no exterior (e os piores)! A boa notícia é que há um ranking recente, baseado em dados da pesquisa do Índice de Trabalho no Exterior da Expat Insider, que oferece uma visão detalhada e reveladora.

Esta lista é bem completa e pode dar a você uma excelente perspectiva dos melhores países para imigrar a trabalho. Levaremos em consideração a carreira, a segurança no trabalho, a cultura de trabalho, a satisfação e muito mais! Confira

Os dez melhores países para trabalhar no exterior são:

  • 1º Holanda
  • 2º Luxemburgo
  • 3º Suécia
  • 4º Emirados Árabes Unidos
  • 5º Finlândia
  • 6º Dinamarca
  • 7º Canadá
  • 8º Irlanda
  • 9º Taiwan
  • 10º Austrália

Saiba mais sobre os países referência em trabalho no exterior:

Esses países são líderes em diversos fatores que incluem perspectivas de carreira, segurança no emprego, equilíbrio entre trabalho e lazer, bem como cultura e satisfação no trabalho.

Houve mudanças significativas no ranking de 2023, com Luxemburgo e Finlândia ganhando posições. Infelizmente, Singapura, Coreia do Sul, Bélgica e Reino Unido caíram de suas posições na pesquisa.

1º Lugar: Holanda

Os Países Baixos conquistaram os imigrantes com a sua extraordinária cultura empresarial. De acordo com os expatriados, os holandeses valorizam a independência, incentivam a criatividade e têm hierarquias pouco burocráticas no ambiente de trabalho. Além disso, a satisfação no trabalho é alta, a segurança no emprego é considerada positiva e a economia é fortemente apreciada.

2º Lugar: Luxemburgo

Luxemburgo tem um forte poder econômico e excelentes perspectivas de carreira. O ambiente de trabalho multicultural e a orientação para os negócios são um grande atrativo, bem como a segurança no trabalho e a satisfação geral no trabalho. Por esses motivos Luxemburgo entrou no topo dos melhores para trabalhar no exterior.

3º Lugar: Suécia

A Suécia ocupou a terceira posição, sendo altamente elogiada por oferecer um equilíbrio saudável entre trabalho e vida pessoal. Os expatriados na Suécia admiram a cultura de trabalho flexível e a promoção de hierarquias planas e trabalho independente. A economia estável e a segurança no emprego também são vistos positivamente.

A seguir você pode verificar a lista completa e alguns destaques que chamam a atenção:

  • Estados Unidos: Apesar de não entrarem no TOP 10, são os primeiros colocados no quesito “Perspectivas de Carreira”, o que é bastante valorizado por muitos profissionais.
  • Estônia: Também não aparece nas 10 primeiras posições, entretanto tem a melhor cultura e satisfação no trabalho.

Os dez piores países para trabalhar no exterior são:

  • 44º Hong Kong
  • 45º Filipinas
  • 46º Coreia do Sul
  • 47º Chipre
  • 48º Kuwait
  • 49º Japão
  • 50º África do Sul
  • 51º Grécia
  • 52º Itália
  • 53º Turquia

Por que alguns países são considerados piores para trabalhar?

Discussões sobre as melhores opções ao se trabalhar no exterior são sempre instigantes, mas é igualmente importante estar ciente das opções menos favoráveis, principalmente para prevenir escolhas precipitadas.

Infelizmente, nem todos os países passaram no “teste” dos melhores países para trabalhar no exterior. A Turquia está ocupando a última posição no ranking e deixa muito a desejar no equilíbrio entre trabalho e vida pessoal. Neste ponto, os expatriados apontam para o estado preocupante da economia turca, falta de segurança no emprego e as remunerações injustas.

Logo acima da Turquia, a Itália e a Grécia também apresentam condições desfavoráveis para trabalho. Na Itália, os expatriados reportam insatisfação com as perspectivas limitadas de carreira e o frágil mercado de trabalho. A Grécia é criticada pelos expatriados pela falta de segurança no emprego, a economia fraca e as remunerações abaixo da média.

À parte dos últimos lugares, mas ainda no fundo da lista, encontramos países como Japão, Coreia do Sul, Filipinas e Hong Kong. Apesar de apresentarem condições menos desfavoráveis em comparação com a Turquia, Itália e Grécia, esses países ainda possuem questões relevantes, tais como insatisfação geral no trabalho e falta de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

A seguir você pode verificar a lista completa dos piores países para trabalhar e alguns destaques que chamam a atenção:

  • Portugal: Destino de imigração de muitos brasileiros e angolanos, está entre os 5 piores no fator “Perspectivas de Carreira”, outro ponto fraco do país é o salário e a segurança do emprego.
  • Piores no equilíbrio entre trabalho e lazer: Nesse quesito, os Estados Unidos e países asiáticos (como Singapura, Japão, Coreia do Sul e Hong Kong) foram os piores avaliados.

É importante levar em consideração que o ranking dos melhores países para trabalhar no exterior é baseado em feedbacks de expatriados e médias gerais, por isso, podem não refletir a experiência de todos os trabalhadores desses países, afinal, a experiência individual pode variar dependendo de suas próprias circunstâncias e expectativas. No entanto, eles fornecem uma visão valiosa sobre as tendências do trabalho no exterior e alguns parâmetros importantes para você avaliar as suas prioridades.

Veja também: Ranking dos países com os salários mais altos do mundo.

Ad
Redação UBE
Redação UBEhttps://umaboaexperiencia.com
Somos uma equipe apaixonada por boas experiências ao redor do mundo. Acreditamos que uma boa experiência não se define por preço ou exclusividade, mas sim como você se sente vivendo esse momento.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Por favor introduza aqui o seu nome

Ad

Últimos posts

Ad
Ad
Ad