fbpx
18.4 C
São Paulo
segunda-feira, junho 17, 2024
InícioCuriosidadesUm cachorro pode ser mais inteligente que uma criança?

Um cachorro pode ser mais inteligente que uma criança?

Siga-nos no Google Notícias

Você já se perguntou se um cachorro pode ser mais inteligente que uma criança? Então precisamos falar sobre Bunny, um sheepadoodle famoso na Internet, que chamou a atenção para uma nova área de estudo dentro da cognição animal: o uso de tecnologia assistiva para aprender a se comunicar sem falar.

A dona de Bunny, Alexis Devine, uma artista e designer de joias de 40 anos de Tacoma, Washington, disse que aprendeu sobre um cachorro que usava uma caixa de ressonância composta de botões circulares, cada um dos quais ditando uma palavra quando pressionado. Bunny tem quase dois anos agora e pode “falar” 92 palavras, disse Devine. (O humano típico de 2 anos de idade pode usar pelo menos 50 palavras com facilidade.) Bunny pode, e freqüentemente o faz, dizer às pessoas para calarem a boca – ou, nas palavras de seus botões, “acalmem-se”.

Os cães aprenderam muitos truques nos 20.000 anos ímpares desde que se acredita que foram domesticados pela primeira vez. A maioria pode responder a comandos básicos como “sentar” e “ficar”. Eles podem lembrar termos como “tratar” e “caminhar”. Alguns demonstraram uma capacidade bastante humana de escolher rapidamente os nomes de novos objetos e armazená-los para recuperação futura.

Na década de 1990, a ideia de que o desenvolvimento do cão poderia espelhar o de uma criança começou a ganhar força, mas a pesquisa sobre a comunicação canina permanece rudimentar. Em 2017, Gregory Berns, professor de neuroeconomia na Emory University, liderou um programa de treinamento que ensinou cães a andar em um scanner de fMRI sem sedação ou contenção. Com os cachorros dentro, seus donos listavam os nomes dos objetos e brinquedos que os cercavam, ao lado de rabiscos ocasionais.

As varreduras mostraram que os cérebros dos cães podiam distinguir rapidamente as palavras que eles conheciam das não familiares e sem sentido, mas que os cães pareciam não fazer distinção entre palavras que diferiam por um único som de fala (por exemplo, “pata” versus “pow”) . “A neurociência canina é um campo relativamente novo”, disse Claudia Fugazza, pesquisadora em Budapeste.

Fonte: The New York Times

Fotos:@fremson

Ad
Redação UBE
Redação UBEhttps://umaboaexperiencia.com
Somos uma equipe apaixonada por boas experiências ao redor do mundo. Acreditamos que uma boa experiência não se define por preço ou exclusividade, mas sim como você se sente vivendo esse momento.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Por favor introduza aqui o seu nome

Ad

Últimos posts

Ad
Ad
Ad